_Destaque

91% dos viajantes concordariam em usar passaportes digitais de saúde para voltar a viajar, diz novo estudo

Estudo, encomendado pela Amadeus e realizado pelo Censuswide, traz informações animadoras para a indústria: 41% dos viajantes querem reservar viagens internacionais dentro de seis semanas após o fim das restrições da COVID

Estudo demonstra a importância de compreender as preocupações dos viajantes sobre privacidade, facilidade e segurança

No momento em que governos e a indústria de viagens analisam os benefícios dos passaportes digitais de saúde, os viajantes mandam uma mensagem clara: tais documentos podem ser uma ferramenta vital para a retomada do setor. O estudo descobriu que, 9 em cada 10 (91%) dos consumidores pesquisados se sentiriam confortáveis em viajar usando um passaporte digital de saúde nas suas viagens futuras.

Essa animadora pesquisa traz insumos para acelerar os planos de criação dos passaportes digitais de saúde, que ajudarão a reduzir as preocupações dos viajantes. O estudo traz outras boas notícias para o setor de viagens, pois mais de 2 a cada 5 (41%) dos viajantes disseram que reservarão passagens internacionais nas primeiras seis semanas depois que as restrições forem retiradas, demonstrando que o apetite por viajar permanece alto.

A pesquisa – que entrevistou 9.055 viajantes na França, Espanha, Alemanha, Índia, Emirados Árabes Unidos, Rússia, Cingapura, Reino Unido e Estados Unidos – também contém um alerta: 9 em cada 10 (93%) participantes têm algum nível de preocupação sobre como seus dados serão guardados.

Quando perguntados sobre a receptividade de ter seus dados digitais de saúde armazenados e compartilhados, os resultados mostram:

  • Pouco menos de três quartos (74%) dos viajantes entrevistados estão propensos a ter seus dados de saúde para viagens armazenados eletronicamente se isso garantir que eles tenham maior agilidade nas checagens no aeroporto em comparação ao processo “face-to-face”
  • Mais de 7 a cada 10 (72%) viajantes estariam propensos a ter seus dados de saúde para viagens armazenados eletronicamente se isso permitir que eles viajem a mais destinos
  • 68% dos viajantes disseram que estariam mais propensos a compartilhar seus dados de saúde se as companhias aéreas com as quais eles voam frequentemente oferecerem uma forma de armazenar tais dados.

Embora a receptividade de compartilhar os dados seja alta, a indústria das viagens precisa considerar os temores dos viajantes quanto ao uso desses dados. Os três principais são:

  • Riscos de as informações pessoais serem hackeadas (38%)
  • Preocupações quanto à privacidade em relação a quais informações de saúde precisam ser compartilhadas (35%)
  • Falta de transparência e controle sobre onde os dados são armazenados (30%).

A pesquisa também explorou quais soluções podem mitigar tais temores, e os resultados mostraram:

  • 42% dos viajantes disseram que um aplicativo que pudesse ser usado em toda a viagem melhoraria sua experiência em geral e garantiria que os dados estão todos em um só lugar
  • 41% concordam que um app de viagens reduziria as preocupações referentes a viajar
  • 62% ficariam mais propensos de usar um app para armazenar seus dados de saúde se a empresa fornecedora do serviço tivesse uma parceria com uma respeitada companhia de saúde complementar.

Essa pesquisa é a segunda de uma série de estudos com viajantes, nas quais a Amadeus faz uma verificação regular sobre o sentimento e as preocupações deles, para ajudar a indústria a reconstruir as viagens da maneira mais eficaz. A pesquisa Rethink Travel 2020 revelou como a tecnologia pode ajudar a aumentar a confiança do viajante, e a Amadeus revisitou essa questão para ver como a confiança do viajante mudou desde setembro de 2020. No total, 91% dos viajantes agora dizem que a tecnologia aumentará sua confiança para viajar, um crescimento de 7 pontos percentuais em relação aos 84% de setembro de 2020.

Quando questionados sobre que tipo tecnologia aumentaria a confiança para viajar nos próximos 12 meses, as soluções móveis foram o destaque, sendo as três principais as seguintes:

  • Apps que enviem notificações e alertas durante a viagem (45%)
  • Pagamentos por celular (ex. Apple ou Google Pay, Paypal, Venmo) (44%)
  • Embarque por celular (ex. Ter seu cartão de embarque em seu telefone) (43%)

Decius Valmorbida, presidente de Travel da Amadeus, disse: “Não há dúvidas de que a COVID-19 continuará a moldar a forma como viajaremos nos próximos meses, assim como influencia muitas outras áreas de nossas vidas. No entanto, embora ainda haja incertezas, pesquisas como essa reforçam meu otimismo de que construiremos viagens melhores do que antes. A colaboração entre governos e nosso setor é a chave para a retomada das viagens, e também respondermos às expectativas dos viajantes descritas nesta pesquisa, implantando a tecnologia certa para permitir uma jornada verdadeiramente conectada e ‘touchless.’”

Christophe Bousquet, CTO da Amadeus, comentou: “Este estudo destaca mais uma vez o papel fundamental que a tecnologia terá na reconstrução das viagens. Vimos uma mudança desde nossa última pesquisa, à medida que os viajantes agora colocam mais foco na tecnologia móvel e ‘touchless’, áreas cruciais que claramente fortalecerão a confiança do viajante. Também é muito relevante ver que os viajantes estão abertos a passaportes digitais de saúde e a compartilharem seus dados durante a viagem, uma vez que as salvaguardas certas estejam implementadas. Na Amadeus, estamos comprometidos em reconstruir uma indústria melhor, junto com nossos clientes e parceiros.”

Para reunir mais insights sobre como a indústria de viagens pode se reconstruir, a Amadeus, líder global em tecnologia de viagens, encomendou uma pesquisa para saber mais sobre as principais preocupações dos viajantes em relação aos dados digitais de saúde, seus níveis de conforto com o compartilhamento e armazenamento de dados e as soluções que podem ajudar a aliviar suas preocupações para viagens futuras. Para saber mais sobre os resultados da pesquisa, leia nossos relatórios e infográficos globais e por país nos links abaixo. 

Metodologia de Pesquisa

A pesquisa foi conduzida no final de fevereiro de 2021 pelo instituto Censuswide, para explorar o sentimento dos viajantes, à luz do COVID-19, em relação aos dados digitais de saúde e as tecnologias para ajudar a reconstruir as viagens. Os resultados foram baseados em 9.055 entrevistados residentes na França, Alemanha, Espanha, Emirados Árabes Unidos, Rússia, Índia, Cingapura, Reino Unido e EUA, que viajaram para o exterior nos últimos 18 meses (com um mínimo de 1.000 entrevistados por mercado). O trabalho de campo foi realizado entre 18 e 26 de fevereiro de 2021. A Censuswide segue e emprega membros da Market Research Society, que se baseia nos princípios da ESOMAR. Para referência: Geração Z = 16-24 anos; Millennials = 25-39 anos; Geração X = 40-54 anos; Boomers = 55-74 anos; 75+ Geração Silenciosa.

Mais Lidas

VOENEWS - Notícias do Turismo Escritório de Negócios QNN 7 Conjunto "L" - Lote 47 - Loja 01- CEP: 72225-080 Telefone: (61) - 3202-8600 - Celulares: (61) 98117-4456 E-mail: contato@voenews.com.br

Copyright © 2011 - VOENEWS - Notícias do Turismo

para o Topo