_Destaque

Dia Internacional do Museu: Tour virtual reúne mais de 10 opções para aproveitar a data de casa

Museu do Catetinho.Foto Luís Tajes/Setur-DF

Projeto foi criado pela Setur-DF como parte das comemorações do aniversário de Brasília e é uma importante ferramenta turística e cultural

 

Na segunda-feira (18), é celebrado o Dia Internacional do Museu. Não à toa, Brasília é considerada um museu a céu aberto por reunir diversos monumentos que são verdadeiras obras de arte, muitos, inclusive, são considerados patrimônios. É uma cidade modernista, dinâmica e funcional. Por isso, hoje, a Setur convida toda a população a conhecer um pouco mais da nossa cidade-capital e os nossos museus pelo Brasília Tour Virtual.

Museus têm um papel fundamental na sociedade por preservarem a memória de um país, uma cidade, e de sua população. Contam histórias que nos permitem enxergar o passado, compreender o presente e imaginar o futuro, além de serem importantes espaços de reflexão. Em Brasília, podemos contemplar um pouco de sua rica história em três lugares especiais: Museu Vivo da História Candanga, Museu do Catetinho, e o Memorial JK.

Inaugurado em 1990 com o intuito de preservar o legado deixado pelos candangos na época da construção de Brasília, o Museu Vivo da Memória Candanga celebrou 30 anos em abril e faz parte da Rota Cívica de Brasília. O espaço surgiu como Hospital Juscelino Kubitscheck, em 1957, para a construção da cidade e é o mais completo conjunto arquitetônico todo em madeira a lembrar os anos pioneiros. Em 1985, foi tombado pelo Departamento do Patrimônio Histórico e Artístico da Secretaria de Estado de Cultura do GDF. “O Museu é um patrimônio e como as visitas estão suspensas, é importante que a comunidade e turistas tenham acesso de forma online. Nós divulgamos a história do DF e há uma enorme necessidade que a narrativa da nova capital ganhe mais espaço”, pontua Eliane Falcão, gerente do Museu Vivo da Memória Candanga.

O Catetinho também compõe a Rota Cívica e conta uma importante fase da nossa cidade por ter acomodado um morador ilustre, o então presidente Juscelino Kubitschek. A construção foi a primeira residência oficial e é um projeto de Niemeyer. Hoje, é um pequeno museu aberto à visitação pública e traz referências da época através da preservação do mobiliário original e outros objetos. Imagens fotográficas complementam as ambientações, com o objetivo de propiciar ao público um testemunho vivo da grande aventura que foi a construção de Brasília.

Brasília, 03.05.2019/Alunos das escolas compartilhadas do GDF visitam o Memorial JK. Foto Luís Tajes/SETUR-DF
Integrando a Rota Arquitetônica, o Memorial JK guarda a história do presidente Juscelino Kubitschek e de sua família em um completo acervo de fotos, roupas, livros e objetos pessoais. O espaço mais visitado do Memorial é a mística câmara mortuária, contendo os restos mortais de Juscelino.

“Brasília possui uma história riquíssima e poder proporcionar uma forma para as pessoas acessarem os nossos museus e poderem se debruçar em seus acervos – tudo de forma online, por meio do Tour Virtual, é realmente uma grande satisfação. Nesse momento, em que todos precisam estar em suas casas, a Setur está trabalhando e desenvolvendo alternativas para a população de Brasília, de outros estados e países poderem vivenciar a nossa capital”, diz a secretária de Turismo do DF, Vanessa Mendonça.

A Rota Arquitetônica ainda engloba o Complexo Cultural da República – uma das últimas obras projetadas por Oscar Niemeyer, é composto pela Biblioteca Nacional e pelo Museu Nacional. Localizado no ponto central da cidade, é considerado um dos principais polos de cultura de Brasília. A arquitetura moderna marca a paisagem com suas formas. Com salas, auditórios e galerias de arte, o Museu recebe grandes exposições nacionais e internacionais. A área externa do Complexo é palco de diversos shows e festivais de grande porte.

Seguindo pela Rota, podemos visitar o Memorial dos Povos Indígenas – que se destaca pela arquitetura. O espaço é dedicado à realização de eventos que promovam o respeito à diversidade étnica e cultural dos povos indígenas do país. O Memorial foi projetado em forma de espiral, assemelhando-se a uma maloca redonda da etnia ianomâmi.

Jardim Botânico – Um museu vivo
Considerado um museu vivo, o Jardim Botânico de Brasília é predominantemente composto por vegetação do Cerrado, em excelente estado de conservação, que pode ser apreciado nas Trilhas Interpretativas abertas à visitação pública. Por conta dessa característica, o JBB é conhecido como o “Jardim do Cerrado”. Abriga coleções de Jardins Temáticos abertos à visitação pública. São eles: Jardim Evolutivo, Jardim de Cheiros, Jardim Japonês e Jardim de Contemplação. Estes espaços proporcionam o contato com a diversidade das espécies existentes no planeta e ajudam a entender como as sociedades humanas se relacionam com suas plantas e constroem suas paisagens.

Conheça os museus disponíveis no Brasília Tour Virtual:

Complexo Cultural da República
O Complexo Cultural da República é formado pela Biblioteca Nacional e pelo Museu Nacional. Localizado no ponto central da cidade, é considerado um dos principais polos de cultura de Brasília. A arquitetura moderna do Museu Nacional marca a paisagem com suas formas, que parecem saídas de um filme de ficção científica. Com salas, auditórios e galerias de arte, o Museu recebe grandes exposições nacionais e internacionais. A área externa do Complexo é palco de diversos shows e festivais de grande porte. O Complexo Cultural da República é uma das últimas obras projetadas por Oscar Niemeyer e foi inaugurado no dia do aniversário do arquiteto, em dezembro de 2006.

Memorial JK
O Memorial JK guarda a história do Presidente Juscelino Kubitschek e de sua família em um completo acervo de fotos, roupas, livros e objetos pessoais. O espaço mais visitado do Memorial é a mística câmara mortuária, contendo os restos mortais de Juscelino. O prédio foi projetado por Oscar Niemeyer em 1981, dois anos após o falecimento de JK, a pedido de sua esposa, dona Sarah Kubitschek. O Memorial encontra-se no ponto mais alto da cidade e exibe em sua parte externa uma torre de 28 metros com uma escultura de Juscelino Kubitscheck, seu idealizador. Lá do alto, JK acena para seu povo e dá boas-vindas aos visitantes da Capital Federal.

Memorial dos Povos Indígenas
O Memorial é a Embaixada dos Povos Indígenas do Brasil. Idealizado pelo antropólogo Darcy Ribeiro e projetado por Oscar Niemeyer em 1987, o Memorial é um espaço dedicado à realização de eventos que promovam o respeito à diversidade étnica e cultural dos povos indígenas do país. O Memorial foi projetado em forma de espiral, assemelhando-se a uma maloca redonda da etnia ianomâmi. O Memorial dos Povos Indígenas mantém um impressionante acervo aberto ao público com diversos livros, fotografias e peças raras, representativas de diferentes etnias brasileiras.

Museu do Catetinho
Construído em apenas 10 dias pela astuta equipe do arquiteto Oscar Niemeyer, o Catetinho foi a primeira residência oficial do Presidente Juscelino Kubitschek, que ocupou o “Palácio de Tábuas” de 1956 a 1959. Seu nome é uma alusão ao Palácio do Catete, antiga sede do Governo Federal, situada no Rio de Janeiro. No acervo do atual Museu do Catetinho há parte do mobiliário original, fotos e objetos da época de sua construção, propiciando aos seus visitantes uma viagem no tempo e na história da construção de Brasília.

Museu Vivo da Memória Candanga
Instalado na antiga sede do Hospital Juscelino Kubitscheck de Oliveira, o Museu Vivo da Memória Candanga mantém a exposição permanente “Poeira, Lona e Concreto”, que narra a história de Brasília desde os primórdios de sua construção até sua inauguração em 1960. Em seu acervo o visitante encontrará edificações históricas, peças, objetos e fotos da época da construção da nova Capital. Também estão expostas peças de artesanato e arte popular, integrantes da “Casa do Mestre Popular” e da exposição “Renovação e Tradição – Novos Caminhos”.

Panteão da Pátria
O Panteão da Pátria foi criado para homenagear os heróis nacionais, em reconhecimento aos seus ideais de liberdade e democracia. O edifício de três pavimentos lembra o formato de uma pomba. Dizem que o desejo de Niemeyer era que sua forma surpreendesse e instigasse a curiosidade. Em seu interior encontram-se peças únicas, tais como o Livro de Aço dos Heróis Nacionais e os vitrais de Marianne Peretti, artista consagrada e única mulher a integrar a equipe de Niemeyer.

Espaço Lucio Costa
A melhor forma de entender o projeto original de Brasília é visitando o Espaço Lucio Costa, uma construção subterrânea na Praça dos Três Poderes projetada por Oscar Niemeyer em homenagem ao urbanista idealizador de Brasília. Seu vão principal exibe uma grande maquete de Brasília e os croquis originais do Relatório de Lucio Costa, vencedor do concurso para o Plano Piloto da Nova Capital do Brasil. É como ver em pequena escala a grandiosidade da construção e a genialidade da obra que fez de Brasília a primeira cidade moderna declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco.

Planetário
O Planetário de Brasília oferece ao público uma experiência inesquecível pelo espaço sideral e pela criação do universo. Acomodados em confortáveis poltronas, seus visitantes desfrutam de uma incrível viagem pelos planetas e galáxias por meio de projeções em sua cúpula. O edifício, que se assemelha a um disco voador pousado em pleno Eixo Monumental, foi projetado pelo arquiteto Sérgio Bernardes em 1974. Além dos mais modernos equipamentos de projeção, o Planetário ainda conta com um amplo espaço para eventos científicos e culturais.

Centro Cultural Banco do Brasil
O CCBB Brasília é uma das mais visitadas instituições culturais do país. O moderno Centro projetado por Oscar Niemeyer oferece, gratuitamente ou a preços simbólicos, renomadas exposições, espetáculos teatrais, shows musicais e festivais de cinema de altíssima qualidade. Os bucólicos espaços ao ar livre do CCBB recebem anualmente diversas exposições interativas, enquanto seus gramados são ocupados pelo público para diversas práticas, como yoga, piqueniques e as mais variadas atividades coletivas. Devido à sua privilegiada vista para o horizonte, o CCBB foi escolhido como palco da Meditação da Lua Cheia, um evento que recebe mensalmente dezenas de pessoas para contemplar a lua cheia e o mais belo céu do país.

Centro Cultural da Caixa
A Caixa Cultural é um dos principais centros de arte e cultura de Brasília. O complexo cultural possui amplas galerias de arte, teatro, jardim de esculturas e um impressionante átrio de vitrais composto por 24 obras. Assinados pelo artista Lorenz Heilmar, esses vitrais são a marca registrada do moderno edifício projetado pelo arquiteto João Diedman, e representam os estados brasileiros, seus costumes e sua gente, uma homenagem da instituição ao povo brasileiro. A área externa do Centro Cultural da Caixa recebe importantes festivais de música nacionais e internacionais.

Jardim Botânico de Brasília
O Jardim Botânico é um impressionante museu natural, que reúne diversas plantas nativas do Brasil e de outros países. O local oferece aos seus visitantes vários atrativos, tais como trilhas, espaço para piquenique, restaurantes, anfiteatro, orquidário, relógio de sol, jardim sensorial, jardim japonês e diversos espelhos-d’água. O Jardim Botânico de Brasília é um passeio imperdível pela rica flora do Brasil e do mundo. Reserve um tempo para viver essa experiência.

 

Mais Lidas

VOENEWS - Notícias do Turismo Escritório de Negócios QNN 7 Conjunto "L" - Lote 47 - Loja 01- CEP: 72225-080 Telefone: (61) - 3202-8600 - Celulares: (61) 98117-4456 E-mail: contato@voenews.com.br

Copyright © 2011 - VOENEWS - Notícias do Turismo

para o Topo