DESTINOS TURÍSTICOS NACIONAIS

Restauração da Igreja Nossa Senhora das Mercês, em Pilar de Goiás, é entregue neste domingo

Igreja

As obras de restauração da Igreja de Nossa Senhora das Mercês, em Pilar de Goiás, município situado 244 km ao norte de Goiânia, serão entregues à população neste domingo, dia 8 de setembro, às 14h, na pequena cidade histórica de 2.253 habitantes (IBGE, 2019). A igreja foi construída entre 1783 e 1824 em estilo colonial e é considerada uma verdadeira relíquia do século XVIII. Erguida por escravos e pardos, o templo católico é um monumento tombado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Nacional (Iphan) desde 1980, e tem mantido como poucas ermidas (capelas de pequenas dimensões) suas características coloniais por quase 250 anos.

O projeto arquitetônico e a execução das obras de restauro da Igreja são iniciativa da Associação de Obras Sociais da Diocese de Uruaçu, que propôs tal projeto ao Fundo de Arte e Cultura do Estado de Goiás, na modalidade “Restauro de Bem Material” por meio do Edital 7/2016. Além da verba do Fundo, as obras contaram com o apoio do Iphan, e tiveram realização da Arte Plena, da Anamaria Diniz Arquitetos Associados, da SDF Arquitetura e Engenharia e da Diocese de Uruaçu.

 

Profissionais

O grupo de trabalho foi formado por equipe de proponentes, pela produtora cultural Wanessa Cruz Bezerra e Sandro Torres da Arte Plena Produções, pelas arquitetas e urbanistas Marisa dos Santos Assumpção e Anna Carolina Cruz, e sua equipe de estagiários Luiz Felipe Teixeira, Renata Laborão e Bruno Borges, coordenados pela arquiteta e urbanista Anamaria Diniz. O projeto de estrutura de madeiras foi elaborado pelo escritório Hirata Associados, sendo consultadas empresas especializadas para as determinadas esferas de assuntos. 

A empresa responsável pela execução das obras de restauro foi a SDF – Arquitetura e Engenharia, com a equipe técnica os arquitetos e urbanistas Pedro Batista dos Santos, Camila Dias e Santos, Elisberto Felicio Rezende e os engenheiros Allan Batista Parreira e Pedro Guilherme Dias e Santos, além do encarregado geral dos serviços técnicos, Paulo Roberto Aguiar. 

Wanessa Cruz, da Arte PlenaWanessa Cruz, da Arte Plena

Todo o apoio durante a elaboração dos projetos e execução da obra junto à comunidade local foi realizado pelo padre Beneval da Paróquia de Pilar de Goiás. Em breve será publicado todo material de levantamento histórico, dos danos e dos registros das obras de restauro.

 

As obras 

Antes do restauro, a Igreja apresentava danos que necessitavam de intervenção para conservação imediata e urgente, a fim de evitar a progressão de patologias e problemas estruturais graves, que além de muito mais caras, são sempre mais invasivas ao bem tombado. A etapa inicial dos projetos foi a de levantamento de dados históricos e documentais existentes sobre o imóvel no acervo do Iphan e em outros arquivos públicos. 

Todas as informações foram consideradas para uma análise crítica, via cruzamento de resultados com o mapeamento de danos atualizado e exames científicos. O conceito proposto para o projeto de restauro da Igreja de Nossa Senhora das Mercês foi o de intervenção de caráter conservativo, que reconhece e mantém algumas intervenções arquitetônicas anteriores, e propõe estudos e saneamento das patologias e danos, intervindo, basicamente, para remover e/ou substituir somente o que trouxer danos à conservação do imóvel, e o que descaracterize a arquitetura do século XVIII. 

As alterações reconhecidamente contemporâneas e que não ofereciam riscos à construção ou a seus materiais e métodos construtivos foram mantidas. Foi necessário a execução de reforços estruturais importantes, intervenções nas argamassas internas e externas, pintura do imóvel à base de cal e projetos técnicos prediais. Os esteios em madeira foram bastante atacados por cupins e fungos, e além disso grande parte dos reforços executados já nem existiam, restando só parafusos metálicos e resinas no local. 

Igreja 3

O escritório de engenharia a cargo do projeto de estrutura, após prospecções nas paredes, confirmou que as alvenarias eram em pedra, corrigindo então relatos verbais de mais de 60 anos que afirmavam que a alvenaria era de taipa de pilão. Essa é a maior contribuição da equipe técnica: reescrever a história do processo construtivo da Igreja das Mercês de Pilar de Goiás. Entretanto, cComo os recursos financeiros aplicados por meio do edital foram restritos, ainda é necessário que haja projetos complementares para o restauro da talha do altar entre outros, para melhor preservação da Igreja. 

Mais Lidas

VOENEWS - Notícias do Turismo Escritório de Negócios QNN 7 Conjunto "L" - Lote 47 - Loja 01- CEP: 72225-080 Telefone: (61) - 3202-8600 - Celulares: (61) 98117-4456 E-mail: contato@voenews.com.br

EVENTOS DO TURISMO

NOTÍCIAS DA HOTELARIA

Copyright © 2011 - VOENEWS - Notícias do Turismo

para o Topo