GOVERNO

Lummertz acredita que preparação bem feita garante sucesso da olimpíada

voenews

Na Argentina, presidente da Embratur afirma que a estrutura para receber os turistas internacionais está pronta e haverá um legado para o setor turístico

Na série de entrevistas a importantes veículos de comunicação da Argentina, durante esta terça-feira (12), o presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Vinícius Lummertz, defendeu que entre os fatores que deverão levar o Brasil a apresentar os Jogos Olímpicos Rio 2016 como um dos mais exitosos de todos os tempos, estará o acerto das ações preparatórias, por todos os órgãos e instituições envolvidos. “Nos momentos que antecederam a Copa do Mundo de Futebol em 2014, por exemplo, houve o mesmo questionamento que existe hoje – em especial pela mídia internacional – sobre a capacidade de o Brasil organizar um evento desta grandeza”, disse Lummertz, ao recordar que até os mais críticos e céticos reconheceram, ao final da Copa, o sucesso daquele evento.

“Estamos acostumados a organizar coisas grandes, como Carnaval de rua e Ano Novo. Desde os Jogos Pan-americanos de 2007, passando pelo Congresso Mundial da Juventude, a Rio + 20, a Copa das Confederações e finalmente a Copa do Mundo, em 12 cidades diferentes, mostramos que sabemos fazer eventos desse porte. A Olimpíada e Paralimpíada vão coroar esse trabalho e serão as mais organizadas e bonitas de todas”, arriscou o presidente da Embratur.

Por ser a primeira Olimpíada realizada na América do Sul e por conta de uma interação cada vez maior do público, estimulado pela difusão das redes sociais via internet, Lummertz considera normais os questionamentos sobre diversos aspectos relacionados com a preparação para os Jogos. “A questão da proliferação da zika provocada pelo mosquito aedes aegypti é um exemplo clássico. O problema é de enfrentamento de uma ameaça séria à saúde em diversos locais do mundo. Vai haver muita gente atingida no período olímpico no Rio de Janeiro? Não, podem ser registrados poucos casos ou até nenhum, já que nesta época do ano (inverno), o mosquito não se desenvolve”, comentou Lummertz.

Lembrando que todos os equipamentos esportivos já foram entregues pelo comitê organizador, bem como obras de mobilidade urbana que estavam prometidas pelos brasileiros para o Comitê Olímpico Internacional, o presidente da Embratur enfatizou que, fora o legado para a cidade do Rio de Janeiro (obras como a extensão do metrô até a Barra da Tijuca, o BRT ligando o centro à região Oeste da cidade, o VLT na área central, a revitalização da região do porto e a construção do Museu do Amanhã), certamente haverá um legado para o setor turístico. Além da criação de mais de 20 mil vagas em leitos de hotéis e pousadas no Rio, o Brasil poderá ser muito beneficiado com a exposição que a Olimpíada trará, já que mais de 5 bilhões de pessoas assistirão os Jogos em todo o mundo e cerca de 25 mil jornalistas estarão participando da cobertura do evento.

“Esse será o nosso próximo desafio, transformar essa grande curiosidade em torno do Brasil, com lugares tão bonitos e gente tão acolhedora, em riqueza gerada pela movimentação das pessoas de outros países que virão nos visitar”, resumiu Vinícius Lummertz, que também disse estar muito otimista em relação aos resultados da política de isenção temporária de visto de entrada para cidadãos norte-americanos, canadenses, japoneses e australianos durante o período olímpico (desde o dia 1º de junho e até 18 de setembro). Por estimativa do Ministério do Turismo, entre 300 a 500 mil turistas estrangeiros estarão no Brasil no período olímpico. Técnicos da Embratur acreditam que esse número poderá ser somado a outros 70 mil que viriam, exclusivamente, por conta da facilidade em relação ao visto.

Clique para comentar

Mais Lidas

VOENEWS - Notícias do Turismo Escritório de Negócios QNN 7 Conjunto "L" - Lote 47 - Loja 01- CEP: 72225-080 Telefone: (61) - 3202-8600 - Celulares: (61) 98117-4456 E-mail: contato@voenews.com.br

EVENTOS DO TURISMO

NOTÍCIAS DA HOTELARIA

Copyright © 2011 - VOENEWS - Notícias do Turismo

para o Topo