Cias Aéreas

Especial 100 anos da KLM: os cinquenta anos de Stonewall e a história LGBTI na Holanda

klm-100-dreamliner
Jornada de Progresso foi passeio organizado durante a Amsterdam Pride por área dentro da KLM que promove a diversidade e a inclusão

 

Em 7 de outubro de 2019, a KLM celebrará um século desde a sua fundação. Um ótimo momento para olhar para trás, e celebrar os avanços alcançados com o passar dos anos. No verão de 1969, os moradores gays do distrito de Greenwich, em Nova York, estavam fartos de mais uma batida policial no bar gay Stonewall Inn. Depois de anos de marginalização, a violência policial excessiva foi a gota d’água. Surgiram rebeliões por toda a cidade de Nova York, seguidas por um movimento que marcou o nascimento do Orgulho Gay mundial. Na Holanda, isso se transformou no Amsterdam Pride, com o Canal Parade como destaque durante um fim de semana do ano.

Over the Rainbow

Em 2010, a equipe da KLM fundou a organização KLM Over the Rainbow. O conselho desta organização está empenhado em promover a diversidade e a inclusão dentro da companhia. Assim como em muitas empresas, a KLM consiste em uma mistura colorida de funcionários de diferentes origens, na busca por uma cultura na qual todos os funcionários se sintam valorizados e seguros.

Orgulho de onde trabalha

Em junho de 2019, a KLM sediou a Conferência anual do Workplace Pride (Orgulho do Local de Trabalho, em tradução literal). Esta organização sem fins lucrativos visa melhorar as condições de trabalho dos funcionários LGBTI em todo o mundo. Também fala direto com as empresas, para encorajá-las a darem aos seus funcionários espaço e confiança suficientes para poderem ser eles mesmos e se sentirem valorizados. O objetivo maior é elevar o nível geral de aceitação e servir de exemplo para os outros. Na KLM, passos sérios estão sendo dados na direção certa, por exemplo, abrindo espaço para iniciativas que impactam positivamente na aceitação de funcionários LGBTI. Juntamente com a Air France, a companhia participou da Parada Gay anual pelas ruas de Paris.

Voo totalmente LGBTI para Nova York

Seguindo os passos de outras companhias aéreas, Tasos Papaioannou, tripulante da KLM, sugeriu o envio de uma tripulação de bordo totalmente gay para Nova York no início deste ano. Ao fazer isso, ele queria contribuir como empresa para celebrar as manifestações de Stonewall. Em 28 de junho deste ano, sua ideia se tornou realidade. Naquela manhã, a tripulação formada apenas por profissionais LGBTI estava pronta para levantar voo orgulhosamente em direção a Nova York. Tasos chamou isso de um passo na direção certa. No entanto, ele indicou que a batalha para a aceitação total ainda está sendo travada. “Ainda assim, esse tipo de iniciativa é um grande avanço”, enfatizou.

Jornada de progresso

Em 2 de agosto, o Over the Rainbow organizou a Journey of Progress (Jornada do Progresso), excursão que percorreu o centro da cidade de Amsterdã, e o guia local Henk falou sobre as origens, o desenvolvimento e o status atual da comunidade LGBTI em Amsterdã e na Holanda. O passeio envolveu vinte influenciadores de oito países diferentes, incluindo Brasil. Os convidados desfrutaram da atmosfera local durante Amsterdam Pride.

A primeira parada foi o Homomonument, primeiro monumento do mundo a homenagear homossexuais mortos pelos nazistas e os que ainda sofrem discriminação por conta da sua sexualidade. A segunda parada foi a primeira ponte sobre o Keizersgracht, um dos principais canais de Amsterdã, para ter um vislumbre do famoso distrito de Jordaan, seguindo para a Prinsengracht, onde ocorre o desfile de barcos do Canal Pride. A terceira parada foi o Palácio Real e o Monumento Nacional na Praça Dam. No século XVII, o chamado Burgerzaal (Salão dos Cidadãos) era um local de encontro não oficial para homens gays, nos tempos em que você ainda podia ser condenado à morte por homossexualidade na Holanda.

Na época do protesto de Stonewall nos EUA, um grupo de ativistas LGBTI de Amsterdã se aproximou do Comitê de Lembranças de Guerra com um pedido para homenagear os soldados LGBTI com uma coroa de flores. Isso não foi permitido na época. Os ativistas colocaram a coroa assim mesmo, e foram presos. Em 1987, o Homomonumento foi criado, com três triângulos interligados por linhas que juntas formam um quarto triângulo. No primeiro triângulo, foi colocado um poema do escritor holandês Gerard Reve, que era gay e quase foi preso por um de seus livros.

O tour passou pela Warmoesstraat, uma rua absolutamente única na Europa, pois oferecia um espaço seguro para a comunidade LGBTI. A parada final foi o Cafe ´t Mandje, que é um clássico café “gezellig” e o bar gay mais antigo ainda em Amsterdã.

Rótulos são para bagagens, não para pessoas

Cinquenta anos depois de Stonewall, progressos significativos foram feitos na área de direitos LGBTI. O surgimento do Over the Rainbow e diferentes eventos LGBTI indicam que uma empresa grande como a KLM também está trabalhando em diversidade e inclusão. Como Tasos pontuou, o objetivo final é ser aceito de tal forma que a batalha não precise mais ser travada. Depois de avanços bem-sucedidos em 2019, estamos ansiosos por um 2020 ainda mais diversificado! Porque convenhamos – “Rótulos são para bagagem, não para pessoas”.

Sobre a KLM

Há 100 anos, a KLM é pioneira no setor de transporte aéreo e é a companhia aérea mais antiga que ainda opera sob seu nome original. A KLM pretende ser a companhia aérea com mais foco no cliente, inovadora e eficiente, oferecendo um serviço confiável e produtos de alta qualidade na Europa.
A KLM transportou um recorde de 34,1 milhões de passageiros em 2018, oferecendo aos seus passageiros voos diretos para 162 destinos com uma frota moderna de 214 aeronaves. A companhia aérea emprega uma força de trabalho de mais de 33.000 pessoas em todo o mundo. O Grupo KLM como um todo transportou mais de 43 milhões de passageiros em 2017. Além da KLM, o Grupo KLM inclui a KLM Cityhopper, Transavia e Martinair. A malha aérea da KLM conecta a Holanda com todas as principais regiões econômicas do mundo e é um poderoso motor impulsionando a economia da Holanda.

Grupo Air France-KLM

Desde a fusão em 2004, a KLM faz parte do Grupo Air France-KLM. Essa fusão deu origem a um dos principais grupos de companhias aéreas da Europa, com duas marcas fortes operando em dois grandes centros: o Aeroporto Schiphol de Amsterdã e o Charles de Gaulle de Paris. O grupo concentra-se em três atividades principais: transporte de passageiros e carga e manutenção de aeronaves. Juntas, as duas companhias aéreas transportam mais 100 milhões de passageiros por ano.
A KLM também é membro da SkyTeam Alliance global, que possui 19 companhias aéreas associadas e uma malha aérea conjunta de 1063 destinos em 173 países.
Para mais informações sobre a KLM, acesse KLM.comKLM NewsroomFacebookTwitter e o Blog.

KLM no Brasil

A KLM opera atualmente 18 frequências semanais entre a Holanda e o Brasil – são 4 voos para Fortaleza, 7 frequências para o Rio de Janeiro e outras 7 para São Paulo.
Juntamente com a parceria global Air France e a GOL Linhas Aéreas Inteligentes, parceira desde 2014 no Brasil, as companhias já operaram mais de 1 milhão de passageiros e cobrem 99% da demanda entre o Brasil e a Europa.

Mais Lidas

VOENEWS - Notícias do Turismo Escritório de Negócios QNN 7 Conjunto "L" - Lote 47 - Loja 01- CEP: 72225-080 Telefone: (61) - 3202-8600 - Celulares: (61) 98117-4456 E-mail: contato@voenews.com.br

EVENTOS DO TURISMO

NOTÍCIAS DA HOTELARIA

Copyright © 2011 - VOENEWS - Notícias do Turismo

para o Topo